Alta Floresta (MT), 24 de setembro de 2018 - 05:45

Agronegócio

04/09/2018 07:06

Soja: Preços mantêm estabilidade nos portos do Brasil apesar da nova disparada do dólar nesta 2ª

Sem a referência da Bolsa de Chicago, os preços da soja no mercado brasileiro fecharam na segunda-feira (3) estáveis em praticamente todo o país, mesmo com uma nova dispara do dólar frente ao real. As variações entre os indicativos no Brasil foram bem pontuais e se limitaram ao interior do país. Nos portos, as referências se mantiveram as mesmas da última sexta (31). 

A moeda americana terminou os negócios com alta de 1,95% e valendo R$ 4,1520, renovando seu segundo mais alto patamar da série histórica. A cautela diante do cenário eleitoral ainda permanece entre os investidores e a volatilidade no câmbio, segundo acreditam analistas e consultores, deverá ser cada vez mais intensa. 

"O cenário ainda é incerto, tanto com a guerra comercial quanto com o desfecho das eleições. E ainda há menor liquidez com o feriado dos EUA", afirmou um profissional da mesa de câmbio de uma corretora local à Reuters, referindo-se ao Dia do Trabalho norte-americano que manteve os mercados locais fechados, limitando o volume de negócios.

A soja disponível seguiu nos R$ 92,00 por saca em Paranguá e nos R$ 91,50 em Rio Grande. E os negócios seguem acontecendo. Os números das exportações brasileiras trazidos pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) mostram que as exportações brasileiras de soja em grão vieram acima de 8 milhões de toneladas, mantendo um ritmo muito intenso dos embarques. 

"Estamos caminhando para exportar 74 milhões de toneladas neste ano da safra velha", diz o consultor em agronegócios Ênio Fernandes, da Terra Agronegócios. "A demanda tanto para a soja atual, quanto para a soja da safra nova do Brasil está muito boa", completa.

Além disso, como explicou o executivo, os prêmios - que seguem em patamares elevados - também ajudam a confirmar essa força da demanda. Para a nova temporada, esses valores ainda circulam no intervalo de 105 a 110 pontos acima dos valores praticados na Bolsa de Chicago. 

Entretanto, os negócios para a safra nova seguem ainda um pouco mais travados, com os produtores mais reticentes em vender diante das incertezas que ainda rondam os valores dos fretes e em busca de valores um pouco mais elevados do que os registrados atualmente. 

Nesta segunda-feira, a soja para fevereiro do ano que vem ficou em R$ 85,00 por saca no porto de Rio Grande. 

"A grande maioria dos produtores está reticente na venda, porque o nível de preço que ele quer vender a safra de soja 2019 esta um pouco acima do que o mercado está ofertando", explica Fernandes. 

Mercado Internacional

Na Bolsa de Chicago, os negócios serão retomados nesta terça-feira (4), após a pausa nesta segunda com o feriado do Labor Day sendo comemorado nesta segunda-feira nos Estados Unidos. E para o diretor da Labhoro Corretora, Ginaldo Sousa, a chamada é de leve alta para os preços da soja.

O mercado volta ao trabalho de acordo na questão da guerra comercial entre chineses e americanos, nas condições de clima do Meio-Oeste americano para a conclusão da safra 2018/19 e agora às informações da taxação sobre as exportações argentinas de grãos pelo governo de Maurício Macri. 

Ainda segundo Fernandes, o mercado internacional tem espaço para algumas novas baixas. 


Aplicativo divulgacao

Progresso FM 102,1

Av. Ludovico Da Riva Netto, 3274
Alta Floresta/MT - CEP 78580-000
Fone (66) 3521-3501 ou 3521-8188

 

 

Redes Sociais

Alta Floresta
Carregando...

? ºC

/

Proibida a reprodução de conteúdo sem citação da fonte.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo