Alta Floresta (MT), 16 de julho de 2018 - 14:06

Esportes

10/07/2018 09:18 Gazeta Esportiva

Desafiado por sucessor, Henry revê França como rival na Copa

Thierry Henry irá se deparar com uma situação inusitada nesta terça-feira, às 15 horas (de Brasília), em São Petersburgo. Atualmente ocupando o cargo de auxiliar na Bélgica, o ex-atacante da França terá de deixar a emoção de lado durante o confronto entre as duas seleções, válido pela semifinal da Copa do Mundo da Rússia.

Aos 40 anos, Henry compõe a comissão técnica liderada pelo espanhol Roberto Martínez desde agosto de 2016, em substituição a Marc Wilmots. Campeão do mundo em 1998 e da Europa em 2000, ele foi incorporado aos Diabos Vermelhos para estimular a “mentalidade vencedora” no grupo liderado por Eden Hazard e Kevin De Bruyne.

Até o momento, a estratégia tem funcionado na Bélgica. Na Rússia, o país alcançou as semifinais da Copa pela primeira vez em 32 anos, igualando a campanha de 1986, quando parou na Argentina de Maradona.

Das quatro semifinalistas, é a única com 100% de aproveitamento. São cinco vitórias em cinco jogos, superando seleções como a inglesa e a brasileira. Aconselhada por Henry, detém ainda o melhor ataque do torneio, com 14 gols.

“Eu admito, como um francês, que é estranho ter Henry contra nós”, reconheceu Olivier Giroud, que tem a dura missão de suceder a Henry no papel de centroavante da seleção francesa, pela qual o campeão do mundo marcou 51 gols em 123 jogos.

“Ele tem a sorte de fazer parte de uma equipe que tem uma geração muito boa. Ele está lá para aprender, com o desejo de se tornar um treinador. É uma lenda do futebol francês, ele trouxe muito para a equipe francesa. Devemos ter respeito pelo o que ele fez”, ressaltou o centroavante, que conquistou a titularidade no decorrer da Copa.

Giroud, contudo, lembra que já foi questionado por Henry em 2015, quando defendia o Arsenal, clube que tem o ex-jogador como um de seus maiores ídolos. “Olivier Giroud está indo muito bem, mas o Arsenal pode ganhar o título com ele? Eu não penso assim”, duvidou Henry.

Hoje no Chelsea, Giroud nega sentir rancor do compatriota, no entanto. “Não há espírito de vingança ou qualquer outra coisa. Já faz vários anos desde que ele disse na imprensa algumas coisas. Há muito respeito entre nós. Eu não tenho ressentimento sobre isso’, reiterou.

Apesar do discurso diplomático, Giroud anseia em dar uma resposta sob os olhares do próprio Thierry Henry. E, embora ainda não tenha feito gols na edição russa do Mundial, o jogador é o ponto de referência do badalado ataque francês, composto também por Antoine Griezmann e Kylian Mbappé  “Claro que terei orgulho de mostrar que ele escolheu o lado errado. Será uma partida especial”, projetou.


Aplicativo divulgacao

Rádio Progresso AM 640

Av. Ludovico Da Riva Netto, 3274
Alta Floresta/MT - CEP 78580-000
Fone (66) 3521-3501 ou 3521-8188

comercial@radioprogresso640.com.br

jornalismo@radioprogresso640.com.br

Redes Sociais

Alta Floresta
Carregando...

? ºC

/

Proibida a reprodução de conteúdo sem citação da fonte.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo