Meio Ambiente

13/08/2018 08:51 MT Via Rádio

Desmatamento ameaça 2 mil nascentes, afirma Ministério

Um levantamento do Ministério Público de Mato Grosso indica que a Área de Preservação Ambiental (APA) das Cabeceiras do Rio Cuiabá, que teve recentemente seu desmatamento permitido por uma lei de iniciativa do governo estadual, abriga mais de 2 mil nascentes em seus 473,4 mil hectares.

A unidade de conservação é considerada prioritária para o futuro dos rios que formam o Pantanal e sempre esteve sob forte pressão dos donos de terras em seus limites.

Assinada pelo governador Pedro Taques em 12 de julho, a permissão a novos desmatamentos recebeu críticas de ambientalistas, que temem uma escalada na degradação, com danos irreversíveis para toda a Bacia do Alto Paraguai.

A medida também foi contestada judicialmente pelo Ministério Público Federal, que obteve uma liminar suspendendo os efeitos da medida. Além dos impactos diretos à região das nascentes, a procuradoria alegou a existência de danos potenciais às terras indígenas Santana e Baikiri, da etnia Bakairi.

Em nota, a Sema defendeu o novo regulamento, mas afirmou que só irá autorizar novas derrubadas após "diagnóstico completo e estudos técnicos sobre a região". A regulamentação será publicada em portaria. 


Aplicativo divulgacao
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo