Alta Floresta (MT), 22 de agosto de 2017 - 09:16

Polícia

09/08/2017 07:32 Folhamax

Dois são presos por matar fazendeiros, advogado e vaqueiro em MT

A Polícia Judiciária Civil desarticulou nesta semana uma quadrilha que cometia assassinatos brutais em Planalto da Serra (254 km de Cuiabá) para obtenção de terras. Ao todo, 2 pessoas foram presas, e uma terceira responde em liberdade.

Todos são acusados de assassinarem quatro pessoas – incluindo um membro do próprio bando. As informações são de uma reportagem da segunda edição do MT TV desta terça-feira (8).

As investigações tomaram o rumo que indicava para os assassinos após a morte do vaqueiro Claudinei Pinto Maciel, de 29 anos, encontrado com o corpo em chamas, entre pneus, numa fazenda a 60 km de Planalto da Serra em maio de 2016. No local, a PC e peritos da Politec também encontraram parte dos restos mortais de dois fazendeiros, pai e filho, que também estavam desaparecidos.

De acordo com informações da reportagem, Rodinei Nunes Frazão, Silvio Ricardo e Marco da Silva Melo chegaram ao município de Planalto da Serra para adquirir uma propriedade que pertencia a dois fazendeiros, pai e filho, que queriam vender ou arrendar as terras em razão da fazenda estar localizado num lugar ermo, de difícil acesso e comunicação. Porém, durante as negociações, ambos foram mortos pela quadrilha de Marco da Silva Melo, que contou ainda com a ajuda de outro comparsa, Tiago Falcão de Oliveira.

A polícia informa que a quadrilha arrastou os corpos do pai e do filho para uma região de mata, atearam fogo e colocaram os restos mortais em sacos plásticos, que foram jogados num rio próximo da cena do crime. Os assassinos tinham o objetivo de se apossar da terra, para tanto que o “assessor jurídico” do grupo, o advogado Silvio Ricardo, confeccionou documentos falsos que atestavam o arrendamento da propriedade.

Os crimes teriam ocorrido em 2016. Em maio do mesmo ano, o vaqueiro Claudinei Pinto Maciel foi até a propriedade em busca de uma vaca que estaria perdida.

Com medo de que o peão levantasse suspeitas, a quadrilha também o assassinou, ateando fogo em seu corpo em meio a uma torre de pneus, próximo ao local onde pai e filho também teriam sido mortos. A viúva de Claudinei acionou a polícia, que encontrou o vaqueiro com o corpo já carbonizado.

Os peritos conseguiram identificar os fazendeiros após exame de DNA. Com o cerco policial cada vez mais próximo, os bandidos ainda tentavam escapar da Justiça e, com medo de serem denunciados, também mataram Sílvio Ricardo, o advogado que prestava “assessoria jurídica” ao grupo, uma vez que, segundo a PC, ele não concordava com a morte dos fazendeiros.

Ele foi decapitado pelos antigos companheiros de crimes. Após a morte do advogado, a PC chegou aos assassinos com a ajuda de Rodinei Nunes Frazão, que deu pistas a polícia sobre os crimes, e que responde ao processo em liberdade. Já Marco da Silva Melo e Tiago Falcão de Oliveira estão presos e aguardam julgamento.


Aplicativo divulgacao

Rádio Progresso AM 640

Av. Ludovico Da Riva Netto, 3274
Alta Floresta/MT - CEP 78580-000
Fone (66) 3521-3501 ou 3521-8188

comercial@radioprogresso640.com.br

jornalismo@radioprogresso640.com.br

Redes Sociais

Alta Floresta
Carregando...

? ºC

/

Proibida a reprodução de conteúdo sem citação da fonte.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo