Política

06/06/2018 08:09 GazetaDigital

Por unanimidade, deputados aprovam soltura de Savi

Por unanimidade, os deputados da Assembleia Legislativa (AL) aprovaram, em sessão plenária na terça-feira (5), o parecer da Comissão de Ética que autoriza a revogação da prisão do deputado Mauro Savi (DEM), preso acusado de fazer parte do esquema de desvios de recursos operado no Departamento de Trânsito (Detran). Foram 13 votos a favor,  4 abstenções e 5 ausências. 

A  votação ocorreu de forma nominal, conduzida pelo deputado Oscar Bezerra (PV), em razão do presidente da AL, deputado Eduardo Botelho (DEM), recuar de presidir a votação por também ser citado por suposta participação no esquema.

Ao ler o parecer da comissão, o deputado Oscar ressaltou que a revogação da prisão está baseada no artigo 27, inciso 1º, e do artigo 56 da Constituição Federal, bem como o artigo 29 da Constituição Estadual. “Opina-se com base no juízo politico e discricionário pela soltura do deputado estadual Mauro Luiz Savi”, disse.

Se abstiveram de votar os deputados estaduais Eduardo Botelho (DEM), Nininho (PSD), Baiano Filho (PSDB) e José Domingos Fraga (PSD). Eles também foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) na mesma operação. Já os deputados Zeca Viana (PDT), Wilson Santos (PSDB), Valdir Barranco (PT), Dilmar Dal Bosco (DEM) e Sebastião Rezende (PSC) não compareceram à sessão.

Após a votação, o deputado Oscar afirmou que a decisão pela soltura deverá ser encaminhada ao desembargador do Tribunal de Justiça (TJ), José Zuquim Nogueira, relator do caso. Isto porque o magistrado já notificou o secretário de Direitos Humanos, Fausto Freitas, para que não liberte o deputado Mauro Savi mesmo que o plenário da AL votasse pela soltura dele. 

“Fica aprovado o requerimento pela decretação da soltura do deputado. Agora cabe a Mesa Diretora encaminhar a decisão ao presidente do Tribunal de Justiça e ao relator do caso para que o órgão tome as devidas providências”, afirmou o deputado Oscar Bezerra.

Leia mais - Desembargador proíbe Estado de liberar Savi com 'alvará' da Assembleia

Com isso, não há previsão  para a soltura de Savi que está detido desde o dia 9 de maio. Ele foi preso durante a Operação Bônus, 2ª fase da Operação Bereré, executada pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) Criminal.

A prisão foi decretada pelo desembargador José Zuquim, que determinou ainda o cumprimento de 5 mandados de prisão preventiva e 5 de busca e apreensão em Cuiabá, São Paulo e Brasília.

Além de Mauro Savi, foram presos preventivamente o ex-chefe da Casa Civil, Paulo César Zamar Taques, seu irmão, Pedro Zamar Taques, e os empresários Roque Anildo Reinheimer, Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo” e José Kobori.

Confira o voto de cada um

Baiano Filho - Absteve
Dilmar Dal Bosco - Ausente
Eduardo Botelho - Absteve
Gilmar Fabris - Pela revogação da prisão
Guilherme Maluf - Pela revogação da prisão
Leonardo Albuquerque - Pela revogação da prisão
Janaina Riva - Pela revogação da prisão
Marcrean dos Santos - Pela revogação da prisão
Max Russi - Pela revogação da prisão
Nininho - Absteve
Oscar Bezerra - Pela revogação da prisão
Pedro Satélite - Pela revogação da prisão
Allan Kardec - Pela revogação da prisão
Romoaldo Júnior - Pela revogação da prisão
Saturnino Masson - Pela revogação da prisão
Sebastião Rezende - Ausente
Silvano Amaral - Pela revogação da prisão
Valdir Barranco - Ausente
Wagner Ramos - Pela revogação da prisão
Wancley Carvalho - Pela revogação da prisão
Wilson Santos - Ausente
Zé Domingos Fraga - Absteve
Zeca Viana - Ausente


Aplicativo divulgacao
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo