Política

24/07/2018 14:12 Midia News

Mendes diz que MT é mal gerido e tem R$ 3,6 bi de restos a pagar

O ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (DEM) oficializou, na manhã desta terça-feira (24), sua pré-candidatura ao Governo do Estado.

No discurso, criticou seu virtual adversário, o governador Pedro Taques (PSDB), e disse querer colocar sua experiência "exitosa" na administração pública e privada à disposição da população. 

“O grande desafio não é só eleitoral, mas é encontrar um Estado que padece de condições mínimas para prestar um bom serviço ao cidadão. Todos são testemunhas do quanto o Estado está inadimplente com seus fornecedores. A dívida já chegou em R$ 3,6 bilhões de restos a pagar. Há quatro anos eram R$ 800 milhões”, disse. 

“Essa situação coloca em risco os atendimentos básicos do Estado. Uma realidade como essa não dá para se conformar. Fui prefeito, acumulei uma experiência exitosa na iniciativa privada e na pública. Quero colocar essa experiência à disposição da população”, afirmou. 

Mendes alfinetou um dos argumentos de Taques sobre as dificuldades de entrega de sua gestão.

Disse ser impossível culpar a crise em um Estado em que a arrecadação aumentou. Que no auge da crise econômica ele estava no comando da Prefeitura e, nem por isso, deixou de cumprir com as obrigações do Executivo.

“Meus amigos, todos conhecemos a frase: ‘Não há dinheiro que dê quando você gasta mal’. Foi isso que aconteceu aqui em Mato Grosso. Não soube controlar os gastos. Não houve gestão”, disse. 

Alvo de mentiras 

O ex-prefeito disse que está disposto a responder todas as críticas, até mesmo sobre sua vida privada na campanha. 

Disse, inclusive, já ter sido alvo de mentiras no período pré-eleitoral, mas que tem o direito de debater Mato Grosso. 

“Esses dias vi um vídeo circulando, uma mentira, que me deixou chateado. Balancei a cabeça e busquei a verdade. E assim será em minha campanha. Não quero criticar nenhum candidato, mas temos o direito de debater a realidade de Mato Grosso”, afirmou. 

“É com a verdade que vamos falar com as pessoas e criar as alternativas que verdadeiramente possamos fazer. Não podemos admitir que na politica a sua arma seja a ameaça. Isso não constrói resultados. Na política a principal arma é o dialogo”, disse. 

União e sem tarefa fácil

Mendes disse que, caso eleito, não terá tarefa fácil. Pediu que haja união com os Poderes para mudar a realidade do Estado. 

“Não existe tarefa fácil e nem salvador da pátria. Acredito que serei capaz, com apoio de vocês, de colocar Mato Grosso novamente nos trilhos. Tenho certeza que não será fácil. Não será nos primeiros meses. Vamos demorar um tempo para mudar essa realidade”, afirmou. 

“Precisamos de competência, trabalho e de apoio. Vamos precisar da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Justiça, do setor produtivo, dos servidores públicos para administrar Mato Grosso. Verdade, honestidade, amor e fraternidade estarão presentes nessa campanha e no nosso mandato se assim for a vontade de Deus”, disse. 

Jaime ao Senado 

Também no evento, o ex-governador Jaime Campos (DEM) se lançou pré-candidato ao Senado. 

Segundo ele, o encontro coloca fim nas especulações de que tanto ele quanto Mendes poderiam recuar da disputa. 

“Essas candidaturas são para fazer os enfrentamentos dos problemas que Mato Grosso tem hoje. Me sinto preparado e a altura para representar o povo do nosso Estado no Senado Federal”, disse. 

“Estarei em Brasília lutando por uma política diferenciada, defendendo os interesses dos mais humildes. Não serei porta voz de nenhum segmento. Serei porta voz do povo de Mato Grosso. Sei que o povo conhece o Mauro e o Jaime. Somos homens de bem. Não faremos uma campanha de esculhambação”, completou.


Aplicativo divulgacao
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo