Política

25/07/2018 08:17 Midia News

Selma diz que não se constrange por ter instruído ação da Rêmora

A ex-juíza Selma Arruda (PSL) afirmou que a chapa encabeçada pelo governador e pré-candidato à reeleição Pedro Taques (PSDB) - e que tem ela e o deputado Nilson Leitão (PSDB) como postulantes ao Senado -, fez um “pacto de lealdade” com o povo de Mato Grosso.

As pré-candidaturas foram oficializadas durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (24). 

A ex-juíza, que ganhou notoriedade por condenar pessoas envolvidas em práticas de corrupção, disse não ter problemas em se aliar ao governador Pedro Taques, cujo governo teve casos de corrupção.

Segundo ela, os fatos ocorridos na administração tucana foram publicizados e tratados de forma adequada pro Taques.

“Eu não me sinto nem um pouco constrangida de pertencer hoje a uma coligação que abriga um partido onde teve um caso de corrupção que foi instruído na minha vara [Operação Rêmora – que apura fraudes na Seduc]. Eu teria constrangimento se isso fosse colocado por baixo dos panos, se tivesse tido alguma interferência por parte do governador ou de alguém para que a Justiça não fosse feita”, disse ela. 

“Pelo contrário, quando eu era magistrada, houve uma demonstração enorme de transparência do governador Pedro Taques e interesse para que aquilo fosse esclarecido. Então, isso me traz essa confiança e esse conforto de estar aqui”. 

Pacto 

“Hoje é um dia muito especial, um dia em que a gente externa a toda sociedade mato-grossense uma aliança, um pacto de lealdade e fidelidade. Não de lealdade da Selma ao Pedro, do Pedro ao Nilson, do Nilson à Selma, mas um pacto em prol de Mato Grosso”, disse Selma, na ocasião. 

“Estamos todos aqui unidos pelo mesmo sentimento: de fazer por Mato Grosso aquilo que a gente gostaria de fazer dentro das nossas casas, de tratar o povo como a gente gostaria de tratar os nossos filhos. Estamos aqui pleiteando uma sociedade melhor. Lutando para com as nossas mãos mudarmos esse estado de coisas que a gente vivencia hoje”, acrescentou a ex-magistrada.

Durante a coletiva, Selma afirmou que seu partido não poderia ter tomado decisão melhor do que se aliar ao grupo de Taques. 

Ela disse se sentir muito confortável na coligação tucana e afirmou ter a certeza de que poderá trabalhar a candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), bem como lutar pela reeleição do governador. 

“Estamos prontos para levarmos nossa bandeira própria e para lutarmos pela reeleição do nosso governador Pedro Taques, que está na metade do caminho de uma obra grandiosa de transformação desse Estado. Precisamos dar a gasolina para que o governador continue nessa estrada e continue sua meta pra que tenhamos realmente a transformação desejada”, disse. 

Sem disputa 

Ainda durante o ato, a ex-juíza afirmou não enxergar o também pré-candidato ao Senado, Nilson Leitão, como um adversário. 

“Não estamos disputando votos. Estamos, desde a primeira conversa, somando votos. Somando a confiança dos mato-grossenses. O Nilson tem um público, a Selma outro e podemos perfeitamente somar”, afirmou. 

“Vamos somar nossas vivências pessoais e profissionais para que dessa soma saia um trabalho harmônico, em conjunto e, futuramente, no Senado Federal, se Deus quiser”, concluiu.


Aplicativo divulgacao
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo